Notícia

08/07/2013 - O lado 'verde' de obras de engenharia do Projeto BRT (Brasília) - Corredor Eixo Norte

 O Estudo de Impacto Ambiental desenvolvido pela TOPOCART para o projeto BRT Corredor Eixo Norte propôs a incorporação de conceitos de bioengenharia nas medidas propostas para minimizar os impactos das Obras de Artes Especiais (OAE) sobre as Áreas de Preservação Permanente dos cursos d´água que cortam o traçado do projeto. Bioengenharia de solos ou engenharia naturalística é a combinação de elementos vivos e inertes utilizados na estabilização de solos e sedimentos.



No projeto do BRT de bioengenharia de solos foi proposto para a contenção dos taludes dentro das faixas de APP, naquelas áreas onde haverá intervenções por obras de infraestrutura. “A proposta era de difundir o uso de materiais de fácil incorporação no terreno local, proporcionando a melhoria do caráter paisagístico e facilitando o reestabelecimento das funções ambientais de corredores ecológicos, para o fluxo livre de fauna e flora, nas áreas de abrangência dos cursos d’água sob influência do BRT - Corredor Eixo Norte”, afirma a geógrafa Gisele Batista, Executiva de Projetos de Meio Ambiente da Topocart.

 
A adoção de tais técnicas na composição estrutural das intervenções do empreendimento é vista como uma prática de controle ambiental e mitigação de impactos, com isso, a TOPOCART procura identificar soluções inovadoras para as intervenções de forma a incorporar conceitos que contribuam na preservação do meio ambiente.

 
O BRT (Bus Rapid Transit) é um modelo de transporte coletivo de média capacidade que visa combinar faixas de circulação exclusivas, estações e ônibus de alta qualidade, para atingir o desempenho e qualidade de um sistema de metrô, com a simplicidade, flexibilidade e custo de um sistema de ônibus. O BRT – Corredor Eixo Norte terá extensão de 68km, ligando as cidades de Planaltina e Sobradinho ao plano piloto de Brasília, no Distrito Federal.